terça-feira, 20 de julho de 2010

Lua de São Manuel

Um amigo do site de fotografias escreveu sob uma das imagens que fiz da lua: "We are all under the same moon, nice to know..:)". Esse comentário me fez lembrar de minha filha quando pequenininha. Por serem tão puras e falarem o que realmente sentem, as crianças nos proporcionam momentos de intenso prazer como este que passei com a Nathalia certa vez em que estava assistindo TV. Me lembro que era o mes de julho e o programa "Globo Repórter" estava fazendo uma comemoração da chegada do homem à lua. Eu gosto muito deste tipo de programa e estava muito interessada em assistir pela milionésima vez a pisada de Armstrong na lua. Então, chamei com insistência a atenção da Nath: "Nathalia, venha ver, venha ver, o homem pisando na lua, o homem foi na lua..." Ao que ela respondeu, "mamãe, mas em que lua que ele foi, na de São Paulo ou na de São Manuel?" Naquele momento perdi totalmente o interesse pelo homem na lua e passei a desfrutar intensamente daquela ingênua pergunta como algo único no universo infantil.

Então, tantos anos depois (talvez 15,16) mostro aqui a lua de São Manuel. Para você Nathalia!


Lua vista de São Manuel, uma pequena cidade no interior do estado de São Paulo onde eu nasci, no dia 17 de julho de 2010, às 18:04.

5 comentários:

Anônimo disse...

ola, adorei a LUA.Acho que a natalia viu a de São manuel e a de São Paulo, pois estamos "ligadas" nas duas luas........bjos saudades.Lucilene

Anônimo disse...

Verinha, marina disse que esta linda LUA é de São Paulo.......bjos saudades. MArina-Lucilene

Santiago Naliato Garcia disse...

"E como é que Deus pode estar lá?" (parafraseando o protagonista do filme O Solista!)
Deste velho.

Regina Célia disse...

Amei esse post, como havia me escapado por tanto tempo?

Carlos disse...

Oi, dona Vera
Normalmente nossos inícios de noite são lindos, ousaria, românticos, quando a Lua ainda se encontra próxima ao horizonte.
Ontem era assim.
Porém, energúmenos insistem em enfrentar a natureza e estragam tudo.
No mínimo, mal amados.
Tchau, dona Vera!!!